Escolas de arte

Escola de Teatro e Dança e Escola de Música da UFPA são destaques no Intercom 2019

O 42º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Intercom 2019, realizado na Universidade Federal do Pará (UFPA) no período de 2 a 7 de setembro, contou com diversas atrações culturais que envolveram e encantaram os mais de 2.600 congressistas que estiveram no evento. Entre os grupos que se apresentaram, se destacaram os alunos e professores da Escola de Teatro e Dança (ETDUFPA) e da Escola de Música (EMUFPA) da UFPA, que apresentaram diferentes performances ao longo do congresso.

Em ação coordenada junto a INFRAERO, o Corpo de Dança da ETDUFPA, sob direção do prof. Jaime Amaral, se apresentou no setor de desembarque do Aeroporto Internacional de Belém nos dias 1, 2 e 3 de setembro, como receptivo aos participantes do evento. Os congressistas que chegavam na cidade recebiam as boas-vindas em ritmo de carimbó e outras danças típicas do Pará.

Um dos momentos mais marcantes do congresso foi a Cerimônia de Abertura, realizada no dia 4 de setembro, no Centro de Eventos Benedito Nunes (CEBN) da UFPA. Para iniciar a noite, Renato Torres, egresso da Faculdade de Artes Visuais (FAV), e Armando de Mendonça, egresso da ETDUFPA, realizaram uma performance cheia de música e poesia para falar sobre incomunicabilidade e vida em sociedade. Logo após, Marcia Aliverti e Adriana Azulay, da EMUFPA, interpretaram obras de Waldemar Henrique sobre as lendas amazônicas.

Finalizada a mesa oficial, foi chegada a hora de dar palco a diversas manifestações artísticas que encantaram o público presente. O Corpo de Dança da ETDUFPA inaugurou esse momento com a apresentação do espetáculo de dança “Das Profundezas do Rio”, sob direção do professor Jaime Amaral. Em uma belíssima performance, com movimentos de mãos, braços, pés, pernas e troncos, o grupo fez alusão às águas da correnteza de um rio que compõe o cotidiano amazônico.

Em seguida, o Grupo de Percussão da EMUFPA impressionou o público com o vibrante espetáculo “Árvores que tocam”, dirigido pelo professor Vanildo Monteiro. A obra é marcada pela mistura de instrumentos populares e eruditos, como maracas, caxixis, marimbas, xilofones e tímpanos, com a incursão de recursos tecnológicos. Com isso, a proposta foi não somente apresentar a Amazônia, mas fazer com o que os espectadores tivessem a sensação de estar no meio da mata, ouvindo os sons do ambiente, como pássaros, folhas, o vento nas árvores, chuva, água correndo pelo rio, entre outros.

Nos demais dias, também não faltaram participações das escolas técnicas. No dia 5, durante o Publicom 2019, houve a apresentação do Quarteto de Saxofone da EMUFPA, dirigida pelo professor Marcos Puff, da Associação Amazônica de Saxofonistas (AMASAX). O grupo é formado por professores e alunos do curso técnico, trazendo, no repertório, a música popular e também a erudita. No Palco Intercom 2019, estrutura montada na UFPA para receber artistas e atrações culturais, se apresentou, no dia 6, o Grupo de Música Popular da EMUFPA.

Outro grande momento protagonizado pelos grupos foi durante a cerimônia de entrega do Prêmio Luiz Beltrão e Prêmios Estudantis, realizada no dia 6, no prédio do Instituto de Ciências da Arte (ICA) da UFPA, localizado na Praça da República. O evento foi aberto com a apresentação do solo de balé da bailarina Raynara Soares da Silva, da ETDUFPA, sob coordenação de Jaime Amaral. Os cantores líricos Luciana Tavares e Severo Almeida, além do professor Humberto Azulay (UFPA) ao piano, também abrilhantaram a noite.

 

 

Sobre as escolas

A Escola de Teatro e Dança da UFPA tem por objetivo promover o ensino, pesquisa e extensão das artes cênicas, dança e cenografia no estado do Pará. Preocupa-se em formar profissionais para a produção de conhecimento e para o mundo do trabalho, mediante a apresentação de espetáculos. Com 50 anos de funcionamento, a ETDUFPA foi responsável pelo fomento à cultura na Amazônia, se tornando um verdadeiro celeiro de várias produções artísticas importantes para a região, como o Auto do Círio.

Já a Escola de Música da UFPA iniciou suas atividades na década de 1960 e, desde então, tem se consolidado como referência na formação de músicos profissionais no estado do Pará, a cada ano aperfeiçoando políticas que levam à democratização do ensino musical gratuito e de qualidade na região. A EMUFPA também atua na oferta de cursos de graduação pelo Plano Nacional de Formação de Professores (PARFOR) e cursos de formação inicial e continuada pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (PRONATEC).

 

Fotos: Aislan de Paula, Thiago Crepaldi, Weslley Lobato e Wesley Corrêa.

Núcleo de Inovação e Tecnologias Aplicadas a Ensino e Extensão – NITAE2 | Universidade Federal do Pará | Belém-PA.