Discussões sobre democracia e ciência

Pesquisadores nacionais e internacionais vão dialogar sobre a temática durante os diferentes momentos do Congresso

Discutir sobre a democracia e sua relação com a ciência no contexto atual, bem como as perspectivas em torno das pesquisas em Comunicação em âmbito nacional e internacional, considerando a realidade dos países latino-americanos, é um dos assuntos principais a estar presente na programação do 42º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (Intercom 2019), que será realizado de 2 a 7 de setembro na Universidade Federal do Pará (UFPA).

Convidados e pesquisadores de diferentes localidades irão conduzir debates sobre democracia e ciência no Congresso, oportunizando trocas de experiências e saberes durante ciclos de estudos, colóquios, mesas, encontros internacionais e fóruns que integram o evento.

No 42º Ciclo de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, uma das principais programações do evento, coordenado pela professora Nair Prata, da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e diretora científica da Sociedade Brasileira de Pesquisadores em Comunicação (Intercom), haverá, no dia 4, a conferência de abertura “Fluxos comunicacionais e crise da democracia”,  proferida pelo professor doutor Ramon Salaverría, da Universidade de Navarra, na Espanha, que discutirá o tema do Intercom 2019.

Além da conferência, o Ciclo terá três mesas para discussões mais específicas relacionadas ao tema do evento, compostas por grandes pesquisadores da área. Na primeira mesa “Instituições paradigmáticas: comunicação, conflitos e reposicionamentos”, serão abordados questões que envolvem algumas das instituições que consolidaram o paradigma da modernidade: Universidade, Família, Estado e Igreja. Na segunda mesa “Fluxos e contrafluxos comunicacionais: crise da discursividade e disputas por narrativas”, será tratado o fenômeno da midiatização e a batalha pelos sentidos que gera. Já a terceira mesa “O desafio das redes sociais digitais: regulação, ética e reconstrução da democracia”, trará as redes sociais digitais ao centro do debate, essenciais quando o tema são as disfunções do sistema democrático.

Para dialogar sobre as perspectivas da pesquisa em Comunicação no Brasil, no dia 3, será realizado o V Fórum Socicom-Intercom, promovido pela Intercom e pela Federação Brasileira das Associações Científicas e Acadêmicas de Comunicação (Socicom). Nesta edição, o Fórum, coordenado pela professora doutora, Ana Regina Rêgo, da Universidade Federal do Piauí e presidenta da Socicom, será constituído de duas mesas. Na primeira, com o tema “Novos modelos de percepção pública sobre ciência e tecnologia”, os palestrantes discutirão questões como inovação na comunicação científica, publicações e plataformas de acesso aberto, estratégias de aproximação com a sociedade e articulação com atores sociais e políticos.

A segunda mesa, “Pesquisa em Comunicação: modos de interlocução com as agências de fomento”, terá a presença de representantes das principais agências de fomento brasileiras, como a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), além da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisa (FAPESPA). A proposta é que os dirigentes das agências de fomento apontem as políticas relativas ao ensino e à ciência e tecnologia, esclarecendo como ficará disposto o orçamento das agências e qual será o tratamento dado ao campo das Ciências da Comunicação.

Com o tema “O pensamento comunicacional latino-americano, território e descolonização”, o IV Colóquio Latino-Americano (Pan Amazônico) de Ciências da Comunicação também será um dos destaques na programação do Intercom 2019, nos dias 2 e 3. A quarta edição do Colóquio, coordenado pela professora Roseli Fígaro, da Universidade de São Paulo e diretora de relações internacionais da Intercom, será formado pelas mesas “Desafios da Comunicação para a democracia: território e descolonização”, “A Comunicação como resistência: entornos de outras vozes nas pesquisas”  e “Experiências transnacionais latino-americanas de pesquisas em Comunicação: por onde caminhar?”, ambas conduzidas por pesquisadores nacionais e internacionais, de países latino-americanos.

O Colóquio Latino-Americano contará, ainda, com a conferência “Experiências transnacionais latino-americanas de pesquisas”, proferida pela professora Edna Maria Ramos Castro, da UFPA. A programação será concluída com a realização do I Colóquio Brasil-Bolívia: avanços no acordo bilateral, que reunirá pesquisadores do Brasil e Bolívia com o objetivo de firmar acordo de cooperação e pesquisa bilateral.

A programação completa do Intercom 2019 pode ser conferida aqui.

 

Núcleo de Inovação e Tecnologias Aplicadas a Ensino e Extensão – NITAE2 | Universidade Federal do Pará | Belém-PA.